1408 | Resenha

October 24, 2017

Olá pessoas!! 

 

Preparados para mais uma dica dos Dias de Horror aqui na Náufragos? Espero que sim, porque eu estou muito animada para esta. 

 

Tendo o conhecimento que este é um filme de 2007, faz um tempo considerável que o conheço, porém isso não diminuí em nada o meu carinho por ele.

 

A primeira vez que o assisti, realmente não esperava o que foi me apresentado. Normalmente filmes "comuns" de terror não me causam tanto impacto quanto esse estilo que estou a ponto de apresentar. Terror psicológico!

 

Mas chega de enrolação e vamos para a resenha!!

 

 

Título: 1408

Título Original: 1408

País: EUA

Duração: 1h 52min

Direção: Mikael Hafstrom

Ano: 2007

Elenco: John Cusack, Samuel L. Jackson, Mary McCormack

 

O filme começa nos apresentando o personagem principal, Michael Enslin com seu carro, enfrentando um tenebroso temporal a procura de mais um quarto de hotel. Ao decorrer dessa primeira cena, já fica claro quem ele é e o que procura. Sim, Enslin é um escritor em busca de quartos de hotel e lugares supostamente assombrados para incrementar seu novo livro.

 

Noite em claro e quarto revirado a espera de algum assombro, mas nada, não há nenhum barulho estranho se quer. No dia seguinte, registra tudo em seu gravador e dá apenas 5 caveiras para o hotel não assombrado porém com uma boa história para atrair visitantes.

 

Mike Enslin, apesar de ter lançado muitos livros, não é um escritor aclamado, isso fica bem claro na sua "incrível" noite de autógrafos. Aos poucos se percebe que este personagem tem alguma coisa a mais, ele não é realmente feliz no que faz, é totalmente cético e não demonstra paixão e sim a falta de algo.

 

As coisas começam a ficar mais interessantes quando Enslin toma conhecimento da existência do quarto 1408 no hotel Dolphin. A busca incessante por informações começa depois que uma ligação é feita e lhe é negada a entrada no quarto, seja qual for a data. 

 

Nota-se que o clima já fica estranho na entrada do hotel, o jogo de câmera e seu movimento deixam a cena desestabilizada. Porém, depois de muita insistência por parte de Mike e muitos avisos por parte do gerente do hotel, o escritor consegue a chave e que comece a pior hora de sua vida.

 

Dentro do quarto a trama segue num ritmo natural, no tempo exato para criarmos uma empatia com Mike e enlouquecer junto com ele. O desenrolar das cenas é no ponto exato para perdermos a noção se tudo aquilo é, de fato, real ou não. Tudo nos leva a acreditar que o sangue, o choro, a janela e até o abajur estão ali, mas será que estão mesmo?

 

 

A trilha sonora cresce com cada cena e explode em postos específicos. Há sim os tais jumpscares, porém mais uma vez não sabemos da onde vem tanto perdigo. O desconforto de não saber é indescritível e convincente a ponto de nos fazer acreditar que aquilo pode mesmo acontecer em um quarto de hotel qualquer.

 

Quadros fechados, ausência de foco em demais personagens e problemas familiares nos deixam a vontade de Samuel L. Jackson, como se conhecêssemos ele de longa data.  A fotografia é suave e nos convence que está tudo bem, mesmo no pânico é apenas um quarto. Ela cumpre muito bem seu papel. A luz amarelada da um ar de comodidade e aconchego, mas esta muda dependendo do que acorre. Azul, incandescente, escuridão, amanhecer... o que virá depois? 

 

Lembrando que esta adaptação de Stephen King tem um final alternativo. Sou suspeita para falar, mas ambos são bem tensos mesmo quando ele sai vivo dessa. Está tudo gravado!! Será que o que está dentro daquele quarto realmente é falso, é invenção da mente? 

 

Admito que ainda não li a obra original, mas nas resenhas que vi, os fatos ocorridos dentro do 1408 são muito menos impactantes do que na adaptação para a telona. Foi sim um filme que me pegou de jeito pelo fato do profundo envolvimento entre o espectador e o personagem principal. É um longa que irá te prender não importa quantas vezes assista, todas elas sarão repletas de apreensão e agonia.  

 

Porém se você gosta de um filme com todos os pontos minimamente resolvidos, já aviso que este irá te deixar com a pulga atrás da orelha. Não há explicação para o que acontece, porque começou e se um dia irá parar. Isso cabe ao espectador ou, talvez, podemos bater um papo com Stephen King e falar a respeito disso.

 

E aí, vocês já assistiram 1408? E a melhor pergunta, se hospedariam lá por uma noite?

 

Lembrem de deixar aquele like na página no face e se inscrever no canal do Youtube!!

 

até a próxima

Jennifer Poletto

Please reload

POSTS RELACIONADOS

Please reload

Please reload

FALE COMIGO:

TAG CLOUD