Os Incríveis 2 | RESENHA

June 29, 2018

 

 

Olá pessoas!

 

Como estão todos vocês?! Por aqui as coisas estão incríveis, pois ontem foi a estréia de Os Incríveis 2 nos cinemas. Gente, que felicidade. é muito legal poder ver a continuação dessa história mais de 10 anos depois. Sim, o primeiro filme é de 2004, esse que assisti incansavelmente durante anos, ainda é um dos meus favoritos quando se trata de animação. 

 

Mas vou poupar vocês dos textos pré resenha, vamos lá!

 

 

Título: Os Incríveis 2

Título Original: The Incredibles 2

País: EUA

Duração: 1h 58min

Direção: Brad Bird

Ano: 2018

Elenco: Craig T. Nelson, Holly Hunter, Brad Bird

 

Quase cheguei atrasada na sala de cinema, os trailers estavam quase passando, mas calma, deu tudo certo. A expectativa estava nas alturas, as luzes se apagaram, a criança não parou de falar e o filme começou

 

Já de início dou uma dica para quem não lembra muito bem do primeiro filme, assista-o antes de ir ver Os Incríveis 2. Ele termina exatamente onde começa o longa metragem de 2018, é como se fosse a continuação do último capítulo de uma série. A perspectiva que adotaram para que houvesse essa continuação foi ótima é pudemos ver de cara que os heróis ainda não são bem vindos por grande parte da população, mas principalmente pela mídia.

 

Sem muita enrolação os heróis são chamados até a sede de uma grande empresa de telecomunicações. A ideia é que eles, estrategicamente, continuem a combater o crime, agindo como heróis desfaçados, para que a população veja que mídia está noticiando os fatos de forma tendenciosa e denegrindo os verdadeiros salvadores do dia. 

 

Um belo paralelo com a realidade mostrando quanto poder a mídia tem sobre a população. É capaz que estejamos sendo manipulados e nem nos damos conta. 

 

Aqui, Mulher Elástica é escolhida para combater o crime enquanto Beto, o Senhor Incrível fica em casa tomando conta de tudo, inclusive das crianças. O que não é uma tarefa nem um pouca fácil, assim como já vimos nos trailes.

 

Acostumado a ser sempre o centro das atenções quando era super herói, aqui Beto se vê uma situação completamente diferente tendo que apoiar sua mulher nos bastidores enquanto ela brilha em frente as câmeras. Uma forma interessante de mostrar que independente da tarefa ela pode ser desempenhada por todos. Além disso, gosto muito da abordagem diferenciada que fazem quando colocam a família inteira atuar junta, se destacando dos demais filmes de heróis onde, normalmente, são lobos solitários.

 

Seguindo com a trama, tudo dá certo na primeira tacada, Mulher Elástica para um trem desgovernado e salva dezenas de vidas. Porém a muito mais por vir, o novo vilão está para ser revelado, o Hipnotizador. Através das telas ele pode controlar qualquer um e faze-lo obedecer a qualquer comando. Agora cabe aos heróis resolverem esse pepino.

 

Os gráficos do filme melhoraram muito com a evolução da tecnologia, porém a expressão e a característica dos personagens está lá, está tudo no seu devido lugar de um jeito melhorado. A estética nostálgica fica ainda melhor com a presença dos antigos uniformes em certa parte do filme e na aparição daquela personagem inesquecível, Edna! A artista está de volta com toda a sua excentricidade, que saudade dessa criatura! 

 

E mais uma vez, sei que falo isso em todas as resenhas de animação, mas a dublagem brasileira é a melhor quando se trata desse nicho. As vozes se encaixam perfeitamente, com todos os altos e baixos ligados ao sentimento. Além disso a trilha sonora e a música tema também estão presentes, para ninguém por defeito.

 

 

Os personagens, num modo geral, estão bem legais. O fato da dublagem trazer muitas expressões para o nosso brasileiro ajuda na inserção do expectador na história. E quando digo inserção é verbal e territorial, guardem isso! Há novos heróis na trama e cada uma deles com um poder diferente, muito bem explorados quando atuando em grupo, pois não foram aprofundados individualmente. Essa galera está aí para deixar tudo mais complicado no fim e mostrar ao expectador que os heróis estão sim em todo o mundo e não só nos EUA.

 

E para não dizer que tudo são flores, o evento final poderia ser facilmente resolvido utilizando apenas uma das novas personagens. Porém entendi a mensagem que quiseram passar com o trabalho em equipe

 

Mas não precisam ficar apreensivos, garanto que se você gostou do primeiro filme, irá gostar deste também. Pode ir tranquilamente ao cinema. Seus sentimentos de 14 anos atras irão voltar juntamente com uma nova perspectiva da história. A Pixar tem essa mão mágica para desenvolver um filme que agrada crianças com um tom leve e ainda assim conversa com os adultos com uma história complexa por traz. 

 

Estou extremamente feliz com o resultado e indico muito que vejam esse filme!

 

Até a próxima e boa sessão!

 

Please reload

POSTS RELACIONADOS

Please reload

Please reload

FALE COMIGO:

TAG CLOUD